A Região

Fidalgas de Santar situada no coração de Santar, pertencendo à Região Demarcada do Dão, instituída em 1908, na província da Beira Alta. Esta região caracteriza-se por um relevo acidentado, tendo cerca de 20 mil hectares de vinha em aproximadamente 376 000 hectares de terra.

Em Portugal, o conceito jurídico de região demarcada deve-se ao Marquês de Pombal, com a criação da delimitação de uma região vitivinícola, no século XVIII, em Portugal. A região demarcada é uma zona de lavoura estanques, abrangida por legislação especial para defesa e promoção da produção vinícola inconfundível da região. As regiões vinícolas portuguesas, bem como os produtores de diversos outros produtos estabeleceram o sistema Denominação de Origem Controlada (DOC) após a entrada de Portugal na Comunidade Europeia em 1986. O sistema DOC substitui o anterior "Região Demarcada" que vigorou desde o início do século XX. Foi a 18 de Setembro de 1908 que legalmente estabelecida a Região Demarcada do Dão, tornando-se na primeira região de vinhos não licorosos a ser demarcada e regulamentada no nosso país.

O Dão ficou desde logo conhecido pela produção de vinhos de mesa, com características muito peculiares são considerados vinhos nobres, elegantes e com aroma inconfundível.

Podemos encontrar solos graníticos a norte e ao centro e solos xistosos a sul, o que proporciona um clima com condições condicionadas pelas Serras da Estrela, Caramulo, Lousão, Buçaco, Nave e Açor que permite que as vinhas estejam protegidas dos ventos marítimos, que permite obtermos um clima quente e seco no verão e no inverno um clima frio e chuvoso.